#chegadecorrupção

Corregedoria do MP vai apurar conduta de Deltan por críticas à suspensão de buscas no gabinete de Serra

A Corregedoria Nacional do Ministério Público determinou a abertura de uma reclamação disciplinar para apurar declarações do coordenador da Lava Jato no Paraná, Deltan Dallagnol, por críticas à decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, que suspendeu busca e apreensão no gabinete do senador José Serra (PSDB-SP).

A Corregedoria Nacional do Ministério Público determinou a abertura de uma reclamação disciplinar para apurar declarações do coordenador da Lava Jato no Paraná, Deltan Dallagnol, por críticas à decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, que suspendeu busca e apreensão no gabinete do senador José Serra (PSDB-SP).

Toffoli atendeu a um pedido do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que questionou o fato de a medida ter sido autorizada por um juiz de primeira instância, o que representaria usurpação de competência do STF. O ministro considerou que a ordem era muito abrangente e poderia atingir material de Serra relacionados ao mandato de senador.

Toffoli atendeu a um pedido do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que questionou o fato de a medida ter sido autorizada por um juiz de primeira instância, o que representaria usurpação de competência do STF. O ministro considerou que a ordem era muito abrangente e poderia atingir material de Serra relacionados ao mandato de senador.

Em uma rede social, Deltan chamou a decisão de “equivocada” e casuística. “Se a moda pega: o mesmo argumento de Toffoli poderia ser utilizado contra buscas e apreensões em quaisquer lugares, pelo risco de prejuízo à atividade empresarial, judicial, advocatícia, ministerial etc., dignas de igual proteção, o que inviabilizaria a apuração de crimes”, escreveu.

Em uma rede social, Deltan chamou a decisão de “equivocada” e casuística. “Se a moda pega: o mesmo argumento de Toffoli poderia ser utilizado contra buscas e apreensões em quaisquer lugares, pelo risco…

Continue lendo na fonte

Comentários