#chegadecorrupção

Ex-ministros da Educação criticam proposta do governo e defendem Fundeb em 2021

Ex-ministros da Educação defenderam neste domingo (19) a renovação a partir de 2021 do Fundeb, fundo que financia a educação básica no país, que passaria a ser permanente e com uma participação maior da União.

Ex-ministros da Educação defenderam neste domingo (19) a renovação a partir de 2021 do Fundeb, fundo que financia a educação básica no país, que passaria a ser permanente e com uma participação maior da União.

Em vigência desde 2007, o Fundeb, considerado essencial para a educação do país, fica em vigor só até o fim deste ano. Uma proposta de emenda à Constituição (PEC) para renová-lo consta da pauta de votação da Câmara desta segunda-feira (20).

Em vigência desde 2007, o Fundeb, considerado essencial para a educação do país, fica em vigor só até o fim deste ano. Uma proposta de emenda à Constituição (PEC) para renová-lo consta da pauta de votação da Câmara desta segunda-feira (20).

No programa GloboNews Debate, Fernando Haddad, que foi titular da pasta da Educação no governo Lula e Dilma, e Rossieli Soares, atual secretário da Educação do estado de São Paulo e ex-ministro da área no governo Temer, criticaram a proposta alternativa do governo Bolsonaro enviada a alguns líderes partidários às vésperas da votação.

No programa GloboNews Debate, Fernando Haddad, que foi titular da pasta da Educação no governo Lula e Dilma, e Rossieli Soares, atual secretário da Educação do estado de São Paulo e ex-ministro da área no governo Temer, criticaram a proposta alternativa do governo Bolsonaro enviada a alguns líderes partidários às vésperas da votação.

VEJA vídeos do debate

Pelo texto recebido pelos parlamentares no sábado (18), a proposta de emenda à Constituição (PEC) só entraria em vigor a partir de 2022 e não 2021 como está no texto em tramitação na Câmara. O governo não diz o que aconteceria com o Fundeb em 2021.

Pelo texto recebido…

Continue lendo na fonte

Comentários