#chegadecorrupção

Revolução da civilidade

A palavra “revolução” ganhou sentido político apenas em séculos recentes. Por exemplo, quando Nicolau Copérnico utilizou a palavra “revolução” no título de seu livro “As revoluções dos orbes celestes” (1543) ele não teve a intenção de ser polêmico ou provocativo. Apesar de sua obra ter reconfigurado nossa compreensão do cosmos e lançado as bases do sistema heliocêntrico, Copérnico utilizou a palavra “revolução” em seu sentido original: “girar e voltar ao mesmo lugar”. Etimologicamente, o termo tem origem latina: “revolutio” – o ato de “revolvere” (“volvere” é volver ou girar; “re” indica a repetição do movimento”). Copérnico estava falando sobre os giros realizados pelos corpos celestes.

A palavra “revolução” ganhou sentido político apenas em séculos recentes. Por exemplo, quando Nicolau Copérnico utilizou a palavra “revolução” no título de seu livro “As revoluções dos orbes celestes” (1543) ele não teve a intenção de ser polêmico ou provocativo. Apesar de sua obra ter reconfigurado nossa compreensão do cosmos e lançado as bases do sistema heliocêntrico, Copérnico utilizou a palavra “revolução” em seu sentido original: “girar e voltar ao mesmo lugar”. Etimologicamente, o termo tem origem latina: “revolutio” – o ato de “revolvere” (“volvere” é volver ou girar; “re” indica a repetição do movimento”). Copérnico estava falando sobre os giros realizados pelos corpos celestes.

O significado político de “revolução” começou em 1660 quando a palavra “revolution” foi usada pela primeira vez para caracterizar a restauração da monarquia inglesa após a ditadura de Oliver Cromwell. Como os monarcas voltaram ao poder, chamaram o episódio de “revolução gloriosa” (com a ideia da monarquia “girar de volta” ao poder). Somente em 1789, na França, é que a palavra “revolução” ganhou o sentido político e social que lhe…

Continue lendo na fonte

Comentários