#chegadecorrupção

Funai cogita nomear antropólogo bacharel em Teologia para coordenadoria de índios isolados

A Fundação Nacional do Índio (Funai) cogita nomear para a Coordenadoria Geral de Índios Isolados e Recém Contatados (CGIIRC), cargo considerado um dos mais técnicos da fundação, o antropólogo Ricardo Lopes Dias. A função atualmente é ocupada por Paula Wolthers de Lorena Pires.

A Fundação Nacional do Índio (Funai) cogita nomear para a Coordenadoria Geral de Índios Isolados e Recém Contatados (CGIIRC), cargo considerado um dos mais técnicos da fundação, o antropólogo Ricardo Lopes Dias. A função atualmente é ocupada por Paula Wolthers de Lorena Pires.

Servidores da fundação ouvidos pelo blog veem a possível nomeação com muita preocupação. Segundo eles, Ricardo atuou por mais de dez anos para a Missão Novas Tribos do Brasil (MNTB), organização que tem por objetivo institucional a evangelização de indígenas.

Servidores da fundação ouvidos pelo blog veem a possível nomeação com muita preocupação. Segundo eles, Ricardo atuou por mais de dez anos para a Missão Novas Tribos do Brasil (MNTB), organização que tem por objetivo institucional a evangelização de indígenas.

Os servidores afirmam ainda que há processos na Justiça contra a MNTB porque o instituto tenta “camuflar” seus objetivos religiosos nas aldeias com ações de educação e assistência.

Os servidores afirmam ainda que há processos na Justiça contra a MNTB porque o instituto tenta “camuflar” seus objetivos religiosos nas aldeias com ações de educação e assistência.

Além de antropólogo e ex-missionário, Lopes também é bacharel em teologia pela Faculdade Teológica Sul Americana (FTSA).

Além de antropólogo e ex-missionário, Lopes também é bacharel em teologia pela Faculdade Teológica Sul Americana (FTSA).

Conforme divulgado pelo blog, o presidente da fundação, Marcelo Augusto Xavier, abriu uma brecha para que o cargo pudesse ser ocupado por pessoas de fora do quadro da administração pública.

Conforme…

Continue lendo na fonte

Comentários