#chegadecorrupção

Reforma da Previdência: MP vai apurar se houve 'indevidas interferências' de Bolsonaro, Maia e Mandetta

O Ministério Público Federal abriu um inquérito para apurar se houve “indevidas interferências” por parte do presidente Jair Bolsonaro, do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, na aprovação da reforma da Previdência Social.

O Ministério Público Federal abriu um inquérito para apurar se houve “indevidas interferências” por parte do presidente Jair Bolsonaro, do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, na aprovação da reforma da Previdência Social.

A portaria que informa a abertura do inquérito é de 13 de janeiro, mas só foi publicada na edição desta quinta-feira (16) do Diário Eletrônico do Ministério Público.

A portaria que informa a abertura do inquérito é de 13 de janeiro, mas só foi publicada na edição desta quinta-feira (16) do Diário Eletrônico do Ministério Público.

Procurada, a assessoria de Rodrigo Maia informou que ele não havia se manifestado sobre o assunto. O G1 também procurou as assessorias de Bolsonaro e de Mandetta e aguardava resposta até a última atualização desta reportagem.

Procurada, a assessoria de Rodrigo Maia informou que ele não havia se manifestado sobre o assunto. O G1 também procurou as assessorias de Bolsonaro e de Mandetta e aguardava resposta até a última atualização desta reportagem.

Na portaria, não há detalhes sobre os motivos da abertura do inquérito, que está sob sigilo. O inquérito tem prazo de um ano e pode ser prorrogado.

Na portaria, não há detalhes sobre os motivos da abertura do inquérito, que está sob sigilo. O inquérito tem prazo de um ano e pode ser prorrogado.

Conforme a portaria, contudo, a abertura atendeu a um pedido de parlamentares do PSOL.

Conforme a portaria, contudo, a abertura atendeu a um pedido de parlamentares do PSOL.

A reforma…

Continue lendo na fonte

Comentários