#chegadecorrupção

Bivar diz que 'nem passa pela cabeça' expulsar Bolsonaro do PSL e que decisão cabe ao presidente

O presidente do PSL, Luciano Bivar, afirmou em entrevista ao programa Em Foco, da GloboNews, que “nem passa pela cabeça” expulsar o presidente Jair Bolsonaro do partido. E acrescentou que uma eventual decisão sobre sair cabe a Bolsonaro.

O presidente do PSL, Luciano Bivar, afirmou em entrevista ao programa Em Foco, da GloboNews, que “nem passa pela cabeça” expulsar o presidente Jair Bolsonaro do partido. E acrescentou que uma eventual decisão sobre sair cabe a Bolsonaro.

A entrevista vai ao ar na próxima quarta-feira (6), às 21h.

A entrevista vai ao ar na próxima quarta-feira (6), às 21h.

A crise no partido se agravou em 8 de outubro, quando Bolsonaro disse a um apoiador para “esquecer” o PSL, acrescentando que Bivar está “queimado para caramba”.

A crise no partido se agravou em 8 de outubro, quando Bolsonaro disse a um apoiador para “esquecer” o PSL, acrescentando que Bivar está “queimado para caramba”.

Depois disso, o presidente da República passou a defender a “abertura da caixa-preta” nas contas do partido e passou a dizer que pode ser um “presidente sem partido“.

Depois disso, o presidente da República passou a defender a “abertura da caixa-preta” nas contas do partido e passou a dizer que pode ser um “presidente sem partido“.

Ao ser questionado se há a possibilidade de expulsar Bolsonaro do partido, Bivar declarou:

Ao ser questionado se há a possibilidade de expulsar Bolsonaro do partido, Bivar declarou:

“Não. Eu acho que seria uma violência e é muito ruim para o país. Isso nem passa pela cabeça porque ele é o presidente, é meu presidente, é seu presidente. Eu acho que tem que se ter um respeito à liturgia, por mais terrível que seja.”

“Não. Eu acho que seria uma violência e é muito ruim para o país. Isso nem passa pela cabeça porque ele é o presidente, é meu presidente, é seu presidente. Eu acho que tem que se ter um respeito à liturgia, por mais terrível que seja.”

Nesta quarta (30), Bolsonaro e…

Continue lendo na fonte

Comentários