#chegadecorrupção

Debater é fácil, focar em debates úteis não é

Existe uma lição marcante no filme “A Ponte do Rio Kwai” – vencedor de sete categorias do Oscar em 1957 incluindo melhor filme. O protagonista da narrativa é o coronel Nicholson, um líder britânico capturado e preso pelos japoneses durante a Segunda Guerra Mundial. Ele foi convencido aos poucos pelos japoneses a liderar os outros prisioneiros na construção de uma ponte no meio da selva sobre o rio Kwai, na Tailândia. Mesmo resistindo à ideia no início, Nicholson cedeu e iniciou o projeto como um modo de levantar o ânimo de seus liderados. Ocorre que no final da construção, o coronel sentiu tanto orgulho por seu trabalho que perdeu de vista o verdadeiro objetivo de sua missão – derrotar seus adversários e vencer a Segunda Guerra. No célebre desfecho da trama Nicholson começa a defender a ponte do ataque de seus próprios aliados que vieram destrui-la para impedir a rota de transporte de armas dos japoneses. Num estalo de lucidez, o coronel suspira: “o que foi que eu fiz?”. Nicholson detona explosivos e destrói a ponte.

Existe uma lição marcante no filme “A Ponte do Rio Kwai” – vencedor de sete categorias do Oscar em 1957 incluindo melhor filme. O protagonista da narrativa é o coronel Nicholson, um líder britânico capturado e preso pelos japoneses durante a Segunda Guerra Mundial. Ele foi convencido aos poucos pelos japoneses a liderar os outros prisioneiros na construção de uma ponte no meio da selva sobre o rio Kwai, na Tailândia. Mesmo resistindo à ideia no início, Nicholson cedeu e iniciou o projeto como um modo de levantar o ânimo de seus liderados. Ocorre que no final da construção, o coronel sentiu tanto orgulho por seu trabalho que perdeu de vista o verdadeiro objetivo de sua missão – derrotar seus adversários e vencer a Segunda Guerra. No célebre desfecho da trama Nicholson começa a defender a ponte do ataque de seus próprios aliados que vieram destrui-la para impedir a rota de transporte de…

Continue lendo na fonte

Comentários