#chegadecorrupção

Os escudos protetores são verdes e ternos

A araucária me recebeu com seus braços abertos. A mata toda me aconchegou. Os passarinhos aumentaram o volume do canto. A seriema no morro deu seu grito desengonçado e lindo, que já inspirou até Villa Lobos, o grande mestre. A reserva de Mata Atlântica para onde vim neste fim de semana tem essas araucárias maravilhosas. Não são muitas. Estão salpicadas pelo verde, mas, majestosas como são, ficam visíveis quanto a gente bate o olho na vegetação que cobre os morros em frente à casa.

A araucária me recebeu com seus braços abertos. A mata toda me aconchegou. Os passarinhos aumentaram o volume do canto. A seriema no morro deu seu grito desengonçado e lindo, que já inspirou até Villa Lobos, o grande mestre. A reserva de Mata Atlântica para onde vim neste fim de semana tem essas araucárias maravilhosas. Não são muitas. Estão salpicadas pelo verde, mas, majestosas como são, ficam visíveis quanto a gente bate o olho na vegetação que cobre os morros em frente à casa.

Necessitava desse abraço araucariano, do aconchego do verde, e da sonoridade dos pássaros aos quais me aliei há anos na missão de refazer o verde. O combinado na coalizão é que eu faço minha parte e eles a deles e todos dispersamos sementes e mudas, o solo as abriga, as mudinhas brotam e crescem até serem árvores. Tem dado certo.

Necessitava desse abraço araucariano, do aconchego do verde, e da sonoridade dos pássaros aos quais me aliei há anos na missão de refazer o verde. O combinado na coalizão é que eu faço minha parte e eles a deles e todos dispersamos sementes e mudas, o solo as abriga, as mudinhas brotam e crescem até serem árvores. Tem dado certo.

Tive nos últimos dias certas alegrias, como as que passo a narrar. A Bienal me chamou para um projeto que leva o maior evento literário do país às escolas. Fui destacada para ir num estabelecimento público de educação infantil falar para crianças de quatro e cinco anos. A diretora pediu que eu…

Continue lendo na fonte

Comentários