#chegadecorrupção

CNJ arquiva pedido para investigar Moro por mensagens trocadas com procurador da Lava Jato

O corregedor do Conselho Nacional de Justiça, Humberto Martins, determinou nesta terça-feira (11) o arquivamento de um pedido para investigar a conduta do ministro da Justiça, Sérgio Moro, em mensagens trocadas com o coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato no Paraná, o procurador da República Deltan Dallagnol. Cabe ao CNJ decidir questões sobre a conduta dos magistrados de todo o país, com exceção dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

O corregedor do Conselho Nacional de Justiça, Humberto Martins, determinou nesta terça-feira (11) o arquivamento de um pedido para investigar a conduta do ministro da Justiça, Sérgio Moro, em mensagens trocadas com o coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato no Paraná, o procurador da República Deltan Dallagnol. Cabe ao CNJ decidir questões sobre a conduta dos magistrados de todo o país, com exceção dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

No último domingo (9), o site The Intercept publicou uma série de reportagens que revela o conteúdo de mensagens extraídas de um aplicativo na época em que Moro ainda era juiz federal e julgava os processos da Lava Jato no Paraná. Segundo uma das reportagens, o atual ministro da Justiça orientou ações dos procuradores da República que atuavam na força-tarefa e cobrou de Dallagnol novas operações.

No último domingo (9), o site The Intercept publicou uma série de reportagens que revela o conteúdo de mensagens extraídas de um aplicativo na época em que Moro ainda era juiz federal e julgava os processos da Lava Jato no Paraná. Segundo uma das reportagens, o atual ministro da Justiça orientou ações dos procuradores da República que atuavam na força-tarefa e cobrou de Dallagnol novas operações.

Humberto Martins rejeitou o pedido de investigação apresentado pelo PDT com a justificativa de que Moro não pode mais ser alvo de um procedimento do CNJ em razão de ter abandonado a carreira de magistrado.

Continue lendo na fonte

Comentários