#chegadecorrupção

Wesley Batista informa ao STF que já pagou 20% da multa de R$ 110 milhões do acordo de delação

Um dos donos do frigorífico JBS, o empresário Wesley Batista informou nesta segunda-feira (3) ao Supremo Tribunal Federal (STF) que efetuou o pagamento de mais R$ 11 milhões da multa de R$ 110 milhões prevista no acordo de delação premiada que ele fechou com a Procuradoria-Geral da República (PGR). Até o momento, Wesley já quitou 20% da multa, correspondente a R$ 22 milhões.

Um dos donos do frigorífico JBS, o empresário Wesley Batista informou nesta segunda-feira (3) ao Supremo Tribunal Federal (STF) que efetuou o pagamento de mais R$ 11 milhões da multa de R$ 110 milhões prevista no acordo de delação premiada que ele fechou com a Procuradoria-Geral da República (PGR). Até o momento, Wesley já quitou 20% da multa, correspondente a R$ 22 milhões.

O pagamento foi feito em meio à indefinição no STF sobre a validade do acordo de quatro executivos do grupo – Wesley, Joesley Batista, Ricardo Saud e Francisco de Assis. O tribunal poderá julgar no segundo semestre se mantém ou anula o acordo, mas ainda não há data marcada para análise.

O pagamento foi feito em meio à indefinição no STF sobre a validade do acordo de quatro executivos do grupo – Wesley, Joesley Batista, Ricardo Saud e Francisco de Assis. O tribunal poderá julgar no segundo semestre se mantém ou anula o acordo, mas ainda não há data marcada para análise.

Conforme a defesa, o pagamento foi efetuado “por conta e risco” do empresário.

Conforme a defesa, o pagamento foi efetuado “por conta e risco” do empresário.

“Apesar de ainda estar pendente a decisão acerca do pedido de rescisão do acordo de colaboração premiada, o peticionário reitera que cumprirá todas as obrigações assumidas, agindo sempre de boa-fé, por conta e risco”, afirma o documento.

“Apesar de ainda estar pendente a decisão acerca do pedido de rescisão do acordo de colaboração premiada, o peticionário reitera que cumprirá todas as obrigações assumidas, agindo sempre de…

Continue lendo na fonte

Comentários