#chegadecorrupção

As marcas do tempo

Em um mundo dominado pela incerteza e pelo descontentamento, o que é tendência? Na Finlândia, as eleições gerais, cujos resultados saem hoje, a expectativa é de crescimento da esquerda social-democrata e o esvaziamento da centro-direita. A extrema direita deve crescer. O traço que aproxima esta eleição de outras é a polarização, que esvazia o centro, ao esgarçá-lo demais. Mas, a extrema-direita, em um país onde o risco climático é evidente, não nega a mudança climática. Apenas defende uma política de mitigação e adaptação à mudança climática mais moderada.

Em um mundo dominado pela incerteza e pelo descontentamento, o que é tendência? Na Finlândia, as eleições gerais, cujos resultados saem hoje, a expectativa é de crescimento da esquerda social-democrata e o esvaziamento da centro-direita. A extrema direita deve crescer. O traço que aproxima esta eleição de outras é a polarização, que esvazia o centro, ao esgarçá-lo demais. Mas, a extrema-direita, em um país onde o risco climático é evidente, não nega a mudança climática. Apenas defende uma política de mitigação e adaptação à mudança climática mais moderada.

No próximo dia 28, a Espanha vai novamente às urnas, para tentar romper um impasse político que a imobiliza há três anos. O PSOE, que comanda o governo de coalizão no poder e foi o grande perdedor em 2011, 2015 e 2016, pode ser o vitorioso. Está na frente, nas pesquisas, com 30% das preferências. Outro partido que cresce e assusta é o Vox, de extrema direita, e é o fator imponderável da eleição. O crescimento simultâneo da esquerda tradicional e da extrema-direita aponta para um outro tipo de polarização. Mas será que podemos dizer que a polarização é a tendência? Ou que há uma tendência de ressurgimento da social-democracia, suscitada pela ameaça da extrema direita? Tendo a responder que não. O que parece mais claro é que aumentaram a incerteza e a volatilidade das…

Continue lendo na fonte

Comentários