#chegadecorrupção

Militares já fizeram 'sacrifício', mas podem fazer 'mais alguns', diz ministro sobre Previdência

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, afirmou nesta sexta-feira (8) em entrevista ao programa Roberto D’Avila, na GloboNews, que os militares já fizeram “sacrifício”, mas podem fazer “mais alguns” ao comentar a reforma da Previdência Social.

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, afirmou nesta sexta-feira (8) em entrevista ao programa Roberto D’Avila, na GloboNews, que os militares já fizeram “sacrifício”, mas podem fazer “mais alguns” ao comentar a reforma da Previdência Social.

O governo ainda não enviou a proposta ao Congresso Nacional, mas o secretário da Previdência, Rogério Marinho, já afirmou que o presidente Jair Bolsonaro quer que a reforma seja para “todos os segmentos“.

O governo ainda não enviou a proposta ao Congresso Nacional, mas o secretário da Previdência, Rogério Marinho, já afirmou que o presidente Jair Bolsonaro quer que a reforma seja para “todos os segmentos“.

Segundo o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, porém, a “ideia do segmento militar” é deixar para um outro momento as mudanças nas aposentadorias de militares.

Segundo o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, porém, a “ideia do segmento militar” é deixar para um outro momento as mudanças nas aposentadorias de militares.

“O mais importante é que o governo está vendo que todos façam sacrifício, é hora. Mas eu, como ministro da Defesa, não tenho que ver o sacrifício de 1º de janeiro até hoje. Tenho que ver os sacrifícios anteriores que os militares fizeram ou contribuíram e, basicamente, vejo a constituinte de 1985, a Constituição de 1988 e chegou em dezembro de 2000, no último dia de 2000, dormimos de um jeito e acordamos com a medida provisória 2215, que tiraram vários direitos adquiridos nossos. Ali, a contribuição foi muito forte e sem debate”, afirmou.

“O mais importante é que o governo está vendo que todos façam sacrifício, é hora. Mas eu, como ministro da Defesa, não tenho que…

Continue lendo na fonte

Comentários