#chegadecorrupção

Brumadinho: análise de e-mails tenta identificar quem na chefia das empresas sabia de falhas

A análise de uma centena de e-mails trocados entre a Vale e empresas envolvidas no funcionamento da barragem 1 da Mina do Feijão, em Brumadinho (MG), tenta identificar o grau de conhecimento interno das falhas do empreendimento.

A análise de uma centena de e-mails trocados entre a Vale e empresas envolvidas no funcionamento da barragem 1 da Mina do Feijão, em Brumadinho (MG), tenta identificar o grau de conhecimento interno das falhas do empreendimento.

Segundo investigadores da Polícia Federal, a ideia é saber quem no comando das empresas tinha conhecimento sobre os problemas de segurança da barragem para, assim, revelar o nível interno de responsabilidade pela tragédia que deixou, até o momento, 150 mortos e 182 desaparecidos.

Segundo investigadores da Polícia Federal, a ideia é saber quem no comando das empresas tinha conhecimento sobre os problemas de segurança da barragem para, assim, revelar o nível interno de responsabilidade pela tragédia que deixou, até o momento, 150 mortos e 182 desaparecidos.

A troca de e-mails entre profissionais da Vale e duas empresas ligadas à segurança da barragem mostra que, dois dias antes do rompimento, a mineradora já havia identificado problemas nos dados de sensores responsáveis por monitorar a estrutura.

A troca de e-mails entre profissionais da Vale e duas empresas ligadas à segurança da barragem mostra que, dois dias antes do rompimento, a mineradora já havia identificado problemas nos dados de sensores responsáveis por monitorar a estrutura.

A vale não comentou as informações que constam dos e-mails, mas disse que entregou voluntariamente documentos e e-mails a procuradores da República e à Polícia Federal. Ao blog, investigadores informaram que os e-mails analisados foram entregues, mas também apreendidos em uma operação da PF e da Polícia Civil na semana passada.

A vale não comentou as informações que constam dos e-mails, mas disse que entregou voluntariamente…

Continue lendo na fonte

Comentários