#chegadecorrupção

Toffoli quer acelerar julgamento sobre auxílio-moradia para reduzir impacto de reajuste a ministros

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, deve apresentar à equipe do presidente eleito Jair Bolsonaro um relatório com dados sobre o reajuste nos salários dos ministros do tribunal.

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, deve apresentar à equipe do presidente eleito Jair Bolsonaro um relatório com dados sobre o reajuste nos salários dos ministros do tribunal.

Toffoli também pretende agir para acelerar o julgamento sobre a legalidade do auxílio-moradia para magistrados, já que o fim do benefício é uma das alternativas para reduzir o impacto do reajuste, aprovado pelo Senado nesta quarta-feira (7).

Toffoli também pretende agir para acelerar o julgamento sobre a legalidade do auxílio-moradia para magistrados, já que o fim do benefício é uma das alternativas para reduzir o impacto do reajuste, aprovado pelo Senado nesta quarta-feira (7).

A decisão de enviar dados a Bolsonaro foi tomada após encontro entre os dois no Supremo nesta quarta.

A decisão de enviar dados a Bolsonaro foi tomada após encontro entre os dois no Supremo nesta quarta.

Mesmo depois de o Senado ter aprovado o reajuste, a intenção de Toffoli é tentar vencer resistências do presidente eleito com a recomposição salarial dos ministros e convencer o novo governo de que é possível minimizar o impacto nos cofres da União.

Mesmo depois de o Senado ter aprovado o reajuste, a intenção de Toffoli é tentar vencer resistências do presidente eleito com a recomposição salarial dos ministros e convencer o novo governo de que é possível minimizar o impacto nos cofres da União.

Bolsonaro disse pela manhã que via “com preocupação” o aumento de gastos que pode ser provocado com o reajuste e afirmou que não era o momento de tratar do tema.

Bolsonaro disse pela manhã que via “com preocupação” o aumento de gastos que pode ser provocado com o reajuste e afirmou que não era o momento de tratar do tema.

Em agosto, o Supremo…

Continue lendo na fonte

Comentários