#chegadecorrupção

Aécio Neves recorre e tenta reverter decisão do STF que o tornou réu por delação da J&F

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar reverter a decisão que o tornou réu por corrupção passiva e obstrução de Justiça em razão das delações premiadas da J&F.

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar reverter a decisão que o tornou réu por corrupção passiva e obstrução de Justiça em razão das delações premiadas da J&F.

O parlamentar apresentou os chamados embargos de declaração contra a decisão nesta sexta-feira (14), último dia do prazo – o relator do inquérito, ministro Marco Aurélio Mello, havia dobrado o prazo de recurso de cinco para 10 dias.

O parlamentar apresentou os chamados embargos de declaração contra a decisão nesta sexta-feira (14), último dia do prazo – o relator do inquérito, ministro Marco Aurélio Mello, havia dobrado o prazo de recurso de cinco para 10 dias.

Em abril, a Primeira Turma aceitou denúncia da Procuradoria Geral da República, que afirmou ter elementos de que Aécio pediu propina de R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, dono da J&F, em troca de favores políticos; e também afirmou que o senador tentou atrapalhar o andamento da Operação Lava Jato. Uma conversa entre os dois foi gravada pelo empresário.

Em abril, a Primeira Turma aceitou denúncia da Procuradoria Geral da República, que afirmou ter elementos de que Aécio pediu propina de R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, dono da J&F, em troca de favores políticos; e também afirmou que o senador tentou atrapalhar o andamento da Operação Lava Jato. Uma conversa entre os dois foi gravada pelo empresário.

No começo de setembro, a Procuradoria Geral da República (PGR) havia pedido ao Supremo para acelerar o trâmite porque precisava iniciar procedimento de coleta de provas e depoimentos. Mas isso só pode acontecer após o julgamento dos embargos pela Primeira Turma.

No começo de setembro, a Procuradoria Geral da…

Continue lendo na fonte

Comentários

Leave a comment